a beta key!

E aqui está ela! A Beta Key para o Battlefield Heroes demorou a chegar, mas foi-me enviada no dia 28/04/2009, às 8:06. A primeira coisa a fazer é agregar o registo no jogo com a nossa conta da EA. Fácil! A segunda é instalar um extra ao Firefox que permite uma instalação completamente automática do jogo. Fácil, mas demorou mais do que o esperado! A terceira é criar a nossa primeira personagem. Nesta fase podemos ter até quatro heróis, mas com um alerta que de momento não podemos apagar um para gerar um novo. A quarta e última fase é… jogar! Garanto que o jogo cumpre todas as promessas iniciais aquando do seu lançamento e é um autêntico vício. Podemos nos deslocar a pé, jipe, tanque ou até mesmo de avião. Apanhar uma boleia na asa de um avião é, ao mesmo tempo, cómico e eficaz! É também possível subirmos a telhados para usufruirmos de uma posição mais vantajosa. Ou seja, temos todo o cenário ao nosso dispor, uma equipa para nos ajudar e outra para derrotar. É desnecessário escrever mais sobre este jogo, pois só quem o experimenta é que consegue compreender o extremo grau de viciação que provoca, morte após morte. Se ainda não tens ou solicitaste uma Beta Key, clica já aqui para o fazeres!

orion’s belt

orions_beltDesde o apaixonante “World of Goo” que nenhum outro jogo tinha captado a minha atenção. Durante o passado fim-de-semana, ao ler as minhas feeds, tive conhecimento que a equipa que está por trás do jogo “Orion’s Belt” foi alvo de uma reportagem do programa Insert Coin, do canal AXN. Já por diversas vezes tinha ouvido falar deste jogo e depois de ver a reportagem finalmente decidi criar uma conta e experimentar. Se o jogo é bom? Basta dizer que fiquei fã desta comunidade e completamente viciado na dinâmica de “Orion’s Belt”! Para quem ainda não conhece, trata-se, como é descrito na página oficial, de um Free Tactical MMO (Massive Multiplayer Online). A maior curiosidade é que foi criado e produzido por portugueses em 2003. Como indicado numa entrevista pelos autores Nuno Silva e Pedro Santos, possui duas vertentes: a gestão de planetas e as batalhas, que ao contrário de jogos do género onde são realizadas automaticamente estas são baseadas num tabuleiro, muito simular com um jogo de xadrez. Pessoalmente, estou a colonizar os cinco planetas existentes na chamada Private Zone para depois viajar para a Hot Zone, onde já existe interacção com outros jogadores. Ao princípio verifiquei a existência de uma enorme quantidade de nomes estranhos e regras a cumprir, mas o jogo possui um excelente manual que facilita a adaptação e permite uma jogabilidade totalmente fluida. Outra das vantagens deste jogo é que não necessita de uma atenção constante, logo posso fazer as minhas jogadas somente quando tiver tempo livre. Um projecto bastante interessante que sugiro a todos os amantes de jogos do género do saudoso Dune 2. Termino com os parabéns a toda a equipa responsável pela existência de Orion’s Belt e com votos que este jogo tenha rapidamente um enorme sucesso além fronteiras.

ubuntu & kubuntu | windows xp, vista & 7

white_kubuntuOs sistemas operativos indicados no título deste post são os que tenho actualmente instalados nas duas máquinas que possuo. No computador que fica quietinho em casa tenho um arranque duplo, com opção entre o Ubuntu 9.04 e Windows XP. No portátil instalei um arranque triplo entre o Kubuntu 9.04, Windows Vista e 7. Ou seja, desde ontem troquei o Ubuntu do portátil pelo Kubuntu da máquina caseira, e vice-versa. Admito, estou completamente apaixonado pela espantosa versão 4.2 do KDE! Como já referi anteriormente neste espaço, considero o Kubuntu o sistema operativo mais atraente da actualidade, mesmo quando comparado ao poderoso Mac OS X. E é aqui que considero que a Canonical está a falhar um pouco. Dado que o ambiente KDE é visualmente bastante mais apelativo que o do GNOME e está mais que demonstrado que este é um dos factores mais importantes na escolha e adaptação a um novo sistema operativo julgo que a Canonical deveria trocar a atenção que dá ao Ubuntu para o Kubuntu. Após utilizar as versões 9.04 do Ubuntu e Kubuntu, “Jaunty Jackalope”, confirmo, sem quaisquer dúvidas, as palavras já lidas por essa internet fora desde o seu lançamento: trata-se da melhor versão de software livre que existe!

Para quem possui um netbook também pode agora optar pelo interessante Ubuntu 9.04 Netbook Remix.

springloaded

springloadedA equipa do WordPress lançou hoje mais um bonito tema. Foi baptizado como “SpringLoaded” e é da autoria de The 449. Gostei bastante da forma como o Nocturna encaixou neste novo tema, contudo a dimensão das imagens dos posts já publicados teriam que ser quase todas alteradas. Por este e outros motivos menos importantes vou manter o blog bem arrumadinho com a versão 1.3 do extremamente minimalista “The Journalist”, de Lucian E. Marin. Mas recomendo totalmente o “Springloaded” para quem vai agora iniciar-se neste mundo do WordPress! Mais pormenores aqui.

5000

prenda_surpresaReparei que esta quinta versão do Nocturna, lançada em 3 de Janeiro deste ano, está quase a atingir as 5000 visitas. Decidi partilhar este bonito número com os responsáveis pelo mesmo. Então vai ser assim. Quem enviar um e-mail, anexando o print do blog, com o número de visitante mais perto dos 5000 vai receber uma prenda surpresa! Em relação à prenda só vos posso dizer que será encomendada da loja virtual da Play.com. O contacto de e-mail que devem utilizar está na página “Autor” e caso possuam um blog indiquem o endereço no e-mail. Sejam rápidos, pois faltam apenas 52 no momento em que escrevo este post. Boa sorte!

a vida tal como ela é

out_of_masks_to_wearDado o sucesso do recente post intitulado “Somos Cada Vez Menos Humanos” lembrei-me de um texto que escrevi para o Diário de Notícias, publicado em 18 de Julho de 1999. Claro que após uma década de o ter escrito mudava algumas coisas, contudo a essência do mesmo continua bastante actual. Quem estiver interessado em ler “A Vida Tal Como Ela É” pode fazer aqui o download em formato pdf. Muito obrigado pela vossa atenção!

A imagem que transmite uma nova dimensão ao texto é da autoria da dotada artista colombiana Ana Correal.

uma árvore plantada num pulmão humano

árvore_nos_pulmõesHá algum tempo um colega da empresa contou-me a história de uma amiga que, por razões misteriosas, enfiou um feijão bem no fundo do nariz e não o conseguiu de lá tirar. Esta indivídua não se preocupou muito com esta situação e, como é natural, alguns dias após este histórico acontecimento viu crescer uma plantinha do interior do seu nariz. A menina teve que ser hospitalizada para a colheita do feijão. Esta história deixou-me deveras impressionado e convicto de que a história do “João e o Feijoeiro Mágico” deveria ser reescrita. Relativamente ao título sugiro a pequenina alteração para “Joana e o Feijoeiro Nasal”.

Mas este post não é sobre esta história, não é em nada relacionado com final do filme “The Fountain”, nem com a série “House M.D.” e não é uma das notícias divulgadas por Nuno Markl em “Coisas Que Acontecem”. Este post é sobre isto:

Médicos acreditam que o paciente pode ter inalado uma semente de abeto e que começou a crescer dentro do seu corpo. Foi encontrada uma planta, com cinco centímetros a crescer dentro do pulmão de um paciente na Rússsia. O homem, Artyom Sidorkin, de 28 anos, consultou o médico porque tinha constantes dores no peito e tosse persistente com sangue. Os médicos suspeitavam que o paciente tinha cancro nos pulmões. Surpreendentemente, quando os médicos estavam a operar Artyom, para retirar o suposto tumor maligno, verificaram que não se tratava de cancro mas sim de uma pequena árvore a crescer dentro do pulmão, segundo informa o sítio online do jornal espanhol “ABC”. De acordo com o diário “Komsomolskaya Pravda”, após a cirurgia, nos Montes Urais na Rússia ocidental, os médicos acreditam que Sidorkin pode ter inalado uma semente de abeto e que começou a crescer dentro do seu corpo. O russo, quando confrontado com o relatório dos especialistas, nem queria acreditar. Pensou que “estava a delirar”, noticia o “Globo.com”, quando lhe disseram que tinha sido encontrada uma árvore num dos pulmões.

Fonte: Jornal de Notícias

Depois disto só vos posso avisar que caso queiram ter um pequeno jardim nos vossos pulmões escolham uma planta pequenina e, de preferência, sem espinhos. Não façam como este senhor que estava a cultivar um abeto, uma árvore que não precisa de sol e é tradicionalmente utilizada todos os anos na época natalícia decorada com bolinhas, estrelinhas e luzinhas. Um conselho de amigo, em vez de andarem para aí a inalarem sementes façam qualquer coisa mais saudável, como fumar um cigarrinho de vez em quando! Como diz o Nuno, são coisas que acontecem…