ubisoft rules!

hoe_aciiAinda nem chegou a última encomenda que fiz, “Uncharted 2: Among Thieves” (19,38 euros na TheHut.com), e já escolhi os dois próximos jogos a viajar para Portugal. São ambos produzidos pela Ubisoft e encontram-se com preços irresistíveis. Como já devem ter reparado pelas imagens, um deles é o “Heroes Over Europe”, que custa neste momento 16,99 euros na TheHut.com. O outro também já devem ter adivinhado, trata-se de “Assassin’s Creed II”, pelo preço de 23,49 euros na Play.com. Mas atenção que se trata da Special Film Edition, contendo um DVD extra com o filme “Assassin’s Creed Lineage”, três litografias e códigos para desbloquear duas localizações secretas dos Templários (Palazzo Medici e Santa Maria dei Frari). A estes preços são praticamente de graça! Por estes lados só falta mesmo é tempo para jogar todas estas pérolas…

vuvuzela? não, vuze!

vuzeHá muito tempo atrás, numa galáxia distante, recordo-me de utilizar diariamente uma aplicação chamada Azureus. A aplicação é actualmente baptizada como Vuze e encontra-se na versão 4.4.0.6, totalmente escrita em Java. Esta noite resolvi instalar esta nova versão e estou completamente rendido a algumas novidades incluídas na mesma. Primeiro, parece-me que o, tão utilizado por estas bandas, µTorrent vai ser completamente substituído pelo Vuze, como o meu principal cliente BitTorrent. Segundo, o Vuze permite o acesso remoto total à lista de downloads a partir de qualquer computador ligado à internet, bem como através de um smarthphone ou o meu amado iPod touch. Terceiro, o Vuze é totalmente gratuito, apesar de também estar disponível uma versão paga (24,99 euros), contendo algumas características que sinceramente não me interessam nada. Quarto, o seu código encontra-se registado através da GNU General Public License. Quinto, possui um leve leitor de vídeo integrado que suporta HD (1080p). Sexto, last but not least, a melhor funcionalidade actual do Vuze é chamada de Device Playback. Basicamente, é a forma mais simples, prática e rápida que utilizei até hoje para aceder a conteúdos multimédia que se encontram no meu computador de secretária, portátil ou discos externos. Basta arrastar através de drag-and-drop os ficheiros ou pastas pretendidas para o dispositivo desejado (iPhone, iPod, iPad, Xbox 360, Playstation 3, PSP ou TiVo) e pronto! O programa, com um visual semelhante ao iTunes, converte automaticamente para o formato que é suportado pelo dispositivo em questão. Experimentei esta opção com a PS3 e fiquei completamente maravilhado, sendo o streaming bastante mais fluído e, caso escolha a opção HD, a qualidade da imagem é bastante superior. Para quem possuir um dos dispositivos anteriormente citados sugiro que experimente o Vuze, não vão certamente querer outra coisa para ver num ecrã LCD, LED ou Plasma séries, filmes ou até programas como o Tekzilla ou TED, pois o Vuze permite subscrever os mesmos através de feed RSS. Fabuloso!

alguém conhece broken bells?

Desde que a minha mana me apresentou o primeiro álbum dos Broken Bells que o mesmo não pára de tocar no iTunes de casa e no iPod do carro. Esta banda é composta por Brian Burton, mais conhecido por Danger Mouse, e James Mercer, o mentor dos The Shins. Quem não conhece os The Shins é porque ainda não viu o fantástico filme de Zach Braff, “Garden State”. A musicalidade dos Broken Bells é comparada com uma viagem no tempo, para um passado em que realmente se criava e acreditava na magia da música. Pessoalmente, posso bem afirmar que é um dos mais bem colocados a melhor álbum deste ano. Mesmo que não sejam religiosos (como eu), por amor de Deus, ouçam-no! Para vos poupar trabalho, deixo-vos as ligações para a original página oficial e para o MySpace da banda.

Se existe por aí alguém que me quer oferecer alguma coisa, posso humildemente sugerir a …sem palavras… edição luxuosa e limitada que se encontra na imagem em cima. O quê, não sabes como encomendar tão espectacular prenda? Basta clicar aqui e escolher a opção add to cart. É simples e a pessoa materialista que habita o meu ser ficará um pouco mais feliz!

ios 4

ios4Instalei o novo iOS 4 na passada Segunda, data do seu lançamento oficial. Após uma extremamente simples, mas demorada instalação que durou à volta de uma hora, a minha opinião é a seguinte. A primeira impressão é o aumento da velocidade nas animações e transições gráficas. Não valendo a pena falar aqui de todas as novidades deste novo sistema operativo móvel da Apple, posso dizer que gostei bastante do bonito iBooks, da prática opção de criar ou editar playlists e da nova unificada caixa de correio electrónico. Mas a melhor novidade para mim foi, sem dúvida, a possibilidade de arrumar as aplicações por pastas. O método para o fazer não podia ser mais intuitivo, como tudo o que envolve este sistema, e as minhas actuais 124 aplicações agradecem bastante! Relativamente ao tão discutido multitasking, por acaso o meu aparelho não se encontra na lista dos compatíveis com esta funcionalidade, mas muito sinceramente é uma característica que dispenso totalmente. Uma das grandes vantagens deste sistema sempre foi a sua simplicidade e o facto de efectuarmos uma tarefa de cada vez, o que aumenta a produtividade. É um alívio saber que nunca tenho nenhuma aplicação a correr de fundo. Termino com algumas sugestões de aplicações que instalei recentemente: Twitter (a oficial), South Africa (para acompanhar o Mundial de Futebol), CC Tennis (jogo muito divertido) e GodFinger (jogo ainda mais divertido). Quase que me esquecia, para os mais desatentos e viciados num certo jogo chamado FarmVille, informo que a partir de hoje já podem cultivar as vossas quintas através do iOS 4. A respectiva aplicação está aqui e disponível na App Store. Concluindo, um sistema operativo móvel que já era o melhor que utilizei ainda ficou mais aperfeiçoado, e irá certamente aumentar bastante o rendimento do novo iPhone.

modularity lite

graph_paper_pressO WordPress.com atingiu hoje a espantosa marca de 100 temas disponibilizados gratuitamente para todos os seus utilizadores. O tema lançado hoje intitula-se “Modularity Lite” e considero-o bastante atractivo. Podem visualizar uma pequena demonstração. Foi elaborado pela Graph Paper Press, é limpo, minimalista, permitindo uma extrema e interessante personalização. Deixo aqui a sugestão para este tema e, uma vez mais, a certeza do WordPress.com ser actualmente a melhor plataforma para quem quiser criar, manter e viver um blogue.

josé de sousa saramago

saramago_memorial

O homem mais sábio que conheci em toda a minha vida não sabia ler nem escrever.

Se eu pudesse repetir a minha infância, a repetiria exactamente como foi, com a pobreza, com o frio, pouca comida, com as moscas e os porcos, tudo aquilo.

Não sou pessimista. O mundo é que é péssimo.

No fundo, o problema não é um Deus que não existe, mas a religião que o proclama. Denuncio as religiões, todas as religiões, por nocivas à Humanidade. São palavras duras, mas há que dizê-las.

Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é só um dia mais.

Sinto uma triste e vazia sensação quando penso que não vamos ler novas histórias contadas por Saramago. Jamais serão articuladas da mesma forma, preenchendo na perfeição cada página, as palavras que constituem a nossa língua.

meo cala as vuvuzelas

meo_vuvuzelasA partir de hoje os clientes MEO têm a opção de anular completamente o infernal e irritante som destas cornetas. Digam lá se, desde o aparecimento da roda, esta não é a melhor invenção de sempre? Mais pormenores aqui.